quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Variedades de Pimentas Brasileiras

SOBRE OS SELOS   (atualização dos dados publicados em 25 de setembro de 2015)
Esta emissão é composta de quatro selos, destacando as espécies de pimentas brasileiras, domesticadas, consideradas as mais significativas do Brasil, como: a malagueta(Capsicum frutescens), a dedo-de-moça (Capsicum baccatum var. pendulum), a bode e a biquinho (Capsicum chinense). As duas últimas pertencem à mesma espécie Capsicum chinense, mas são grupos varietais distintos, diferenciando-se em formato, aroma, sabor, e ardume (pungência). As áreas de cultivo das espécies são diferentes. A bode é muito cultivada em Goiás e a biquinho, em Minas Gerais. A quadra é a reprodução de fotos dos cultivares naturais de cada uma das espécies mencionadas, que expressam, com seus elementos e componentes, a força e a beleza do conjunto iconográfico: fruto, rama e florada. Foram usadas microletras na identificação das variedades, localizadas nos ramos dos frutos e utilizadas as técnicas de manipulação de fotografia e computação gráfica. fonte: edital 17 dos correios
Lançamento: 16/10/2015 - Dimensões: 38 x 38 mm
Arte: Maria Maximina
Texto descritivo do Edital
Variedades de Pimentas Brasileiras
Pimentas Brasileiras – variedades de espécies, cores, aromas e
sabores
Esta emissão destaca quatro significativas espécies de pimentas domesticadas, cultivadas no Brasil: malagueta (Capsicum frutescens); dedo-de-moça (Capsicum baccatum var. pendulum); bode e biquinho (Capsicum chinense).

Pimentas Brasileiras (Capsicum spp.)
A origem americana é uma particularidade compartilhada por espécies vegetais como o milho, a batata, o tomate e as pimentas, entre outras, que se tornaram mundialmente conhecidas somente após o descobrimento das Américas. As pimentas do gênero Capsicumsão valorizadas por seus atributos culinários, medicinais, ornamentais e, até mesmo, como arma de defesa. Fazem parte da biodiversidade brasileira e, conforme registros arqueológicos e relatos de naturalistas sobre o uso por parte dos indígenas, anteriores à descoberta do Novo Mundo, foram incorporadas à cultura e à dieta brasileira. São cultivadas em todo o território nacional com uma imensa variedade de tipos, nomes, tamanhos, cores, sabores e pungência, sendo consumidas frescas, desidratadas e de diversas formas em molhos, conservas, geleias e pastas.
O gênero Capsicum, pertencente à família botânica Solanaceae, é composto por cerca de 30 espécies. O Brasil é um importante centro de diversidade desse gênero, pois em seu território encontram-se espécies, em todos os níveis, domesticadas, semidomesticadas e silvestres.
Dentre as cinco espécies domesticadas, quatro são cultivadas no Brasil: C. annuum L. var. annuum (maior frequência nas regiões Sudeste e Centro-Oeste), representada pelos pimentões e pela pimenta Jalapeño; C. baccatum L. var. pendulum (Willd.) Eshbaugh (maior frequência nas regiões Sudeste e Sul), tendo como principal representante a pimenta Dedo-de-moça; C. chinense Jacq. (maior frequência nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste), sendo as pimentas Biquinho e Bode as mais populares, e C. frutescens L., representada pela pimenta Malagueta. Capsicum frutescens é a espécie mais difundida e consumida no Brasil, enquanto a espécie C. chinense é considerada a mais brasileira das espécies domesticadas porque sua área de maior diversidade está localizada na Bacia Amazônica.
Novas cultivares de pimentas tipicamente brasileiras têm sido desenvolvidas pelo programa de melhoramento genético de Capsicum da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Hortaliças) para atender às demandas da agricultura nacional, como a pimenta BRS Mari (Dedo-de-moça), a pimenta BRS Moema (Biquinho) e a pimenta BRS Seriema (Bode). Segue abaixo uma breve descrição dos principais tipos de pimentas consumidas no Brasil: malagueta, dedo-demoça, bode e biquinho.
Malagueta (Capsicum frutescens)
A pimenta malagueta é uma das mais conhecidas, consumidas e cultivadas em todo o país. Os frutos geralmente são pequenos e eretos, com formato alongado e paredes muito finas, variando de 1,5 a 3,5 cm de comprimento por 0,3 a 0,5 cm de largura. São de coloração verde, quando imaturos e, vermelha, quando maduros, com pungência (ardume) que varia de média a alta. Os frutos são destinados tanto para o mercado in natura, quanto para a indústria processadora, que deriva o produto em molhos, conservas, geleias e pastas. A culinária da região amazônica utiliza a pimenta malagueta de diversas maneiras: a damurida (caldo preparado à base de pimenta malagueta, servido com peixe ou carne de caça, hoje um prato regional), a jiquitaia (pimenta desidratada em pó, às vezes com sal) e os molhos preparados artesanalmente com pimentas inteiras e/ou trituradas acrescidas de uma base líquida (tucupi - suco extraído da raiz mandioca, soro-de-leite, vinagre, etc.). Na culinária nordestina, a malagueta é utilizada para temperar pratos típicos, como o acarajé e o vatapá, e nas demais regiões do país, é utilizada como tempero de pratos à base de peixes e carnes.
Dedo-de-moça (Capsicum baccatum var. pendulum)
Também conhecida como pimenta vermelha ou calabresa, é um dos tipos mais consumidos no Brasil, principalmente nas regiões Sudeste e Sul, onde é muito usada no preparo de molhos e conservas ou na fabricação de pimenta calabresa (desidratada na forma de flocos com sementes). A pimenta calabresa é usada pela indústria principalmente como condimento em embutidos, carnes e linguiças. Os frutos são alongados (por isso, o nome dedo-de-moça) e pendentes, com espessura de polpa fina e coloração verde, quando imaturos, e vermelha, quando maduros. Medem cerca de 7 cm de comprimento por 1 a 1,5 cm de largura, com pungência baixa a média e pouco aroma.
Bode (Capsicum chinense)
É a pimenta mais popular na região Centro-Oeste, muito apreciada no estado de Goiás. Os frutos são arredondados ou achatados, geralmente pendentes, com cerca de 1 cm de comprimento por 1 cm de largura. Possuem coloração verde, quando imaturos, e amarelo ou vermelho, quando maduros, com pungência alta e aroma forte. Os frutos imaturos (verdes) da pimenta bode são geralmente comercializados frescos, e os frutos maduros (vermelhos ou amarelos) são utilizados em conservas com vinagre ou azeite e em molhos. Na culinária goiana, é usada como tempero no preparo de carnes, feijão, pamonha salgada e até em biscoitos de polvilho.
Biquinho (Capsicum chinense)
É uma pimenta que vem ganhando popularidade em várias regiões brasileiras por ser saborosa, crocante, aromática e doce, ou seja, sem a pungência característica das pimentas. Foi inicialmente cultivada na região do Triângulo Mineiro. Os frutos são pequenos, com 2,5 a 2,8 cm de comprimento e 1,5 cm de largura, com formato triangular pontiagudo como um biquinho, que dá origem ao nome dessa pimenta. Os frutos apresentam coloração verde, quando imaturos, alaranjada, quando em fase de maturação, e vermelha, quando completamente maduros. São usados para o preparo de conservas e geleias, podendo ser consumidos frescos, como aperitivos, e até como fruta.
Sabrina Isabel Costa de Carvalho
Analista da Embrapa Hortaliças
Luciano de Bem Bianchetti
Pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
Cláudia Silva da Costa Ribeiro
Pesquisadora da Embrapa Hortaliças

Um comentário:

  1. New Diet Taps into Pioneering Concept to Help Dieters Lose 15 Pounds within Only 21 Days!

    ResponderExcluir